Monday, December 18, 2017

Antrax pode ser responsável pela morte de 100 hipopótamos na Namíbia
Photo Credit To Um hipopótamo do Nilo emerge em um rio no Parque Nacional de Chobe, Botsuana. Namibia e Botsuana abrigam grandes populações de hipopótamos. Jason Edwards/ National Geographic Creative

Antrax pode ser responsável pela morte de 100 hipopótamos na Namíbia

Uma quantidade enorme de hipopótamos foram descobertos misteriosamente mortos e parcialmente submersos em um lago na Namíbia. O que confunde ainda mais a população é a rapidez com a qual ocorreu. As informações são da National Geographic.

O primeiro hipopótamo morto foi encontrado no dia 1 de outubro, segundo diretor do ministério do Meio Ambiente e Turismo da Namíbia, Johnson Ndokosho. Desde então, ao menos 100 animais apareceram mortos na região ocidental do parque nacional Bwabwata, que se encontra na região noroeste da Namíbia, entre Angola e Botsuana.

“Fazia muito tempo que não ocorria algo assim”, disse Ndokosho. As primeiras teorias para esta morte massiva se centram em mortes previas provocadas por uma bactéria mortal de nome conhecido.

“Suspeitamos que foram mortos pelo antrax, mas ainda não conseguimos confirmar”, declarou uma autoridade do ministério em entrevista telefônica para a National. Insistiu que, embora ainda estão realizando os testes, prevenir a intoxicação por antrax é muito difícil.

“Não há muito que possamos fazer”, afirmou Ndokosho, “não podemos transportar os animais”.

hipopótamos mortos em lago
El Periodico

De acordo com a National, também apareceram mortos vários búfalos de água. Mas devido a distância a qual se encontravam os hipopótamos mortos, em uma parte remota do parque, muito longe das práticas pecuárias, não existem possibilidades de que a enfermidade se estenda, segundo Ndokosho.

Em 2004, até 200 hipopótamos morreram por um surto mortal de antrax na Uganda. Demorou meses até que se chegasse a um disgnóstico oficial e, pelo menos, 10 pessoas morreram após consumir carne de hipopótamo contaminada.

De onde vem?

A enfermidade do antrax é causada pela bactéria Bacillus anthracis, que, segundo se acredita, entram em contato com a vida silvestre de forma natural quando há baixo no nível de água. Ainda que o antrax é mais conhecido por seu infame potencial como arma biológica, as bactérias ocorrem de forma natural na terra, onde podem passar inadvertidas durante décadas.

De acordo com os Centros de Controle de Enfermidades, essa bactéria é produtora de esporo, ou seja, são capazes de sobreviver de maneira inerte no meio ambiente até que encontre as condições ideais para serem reativadas, como um organismo vivo. A partir daí, a bactéria se multiplica, criando colônias que se espalham por todo o corpo, provocando enfermidades graves e, se não tratadas, são fatais.

Em uma entrevista para o jornal local New Era, Colgar Sikopo, diretor da divisão da Namíbia encarregada dos parques e vida silvestre, disse que o fato se deve aos níveis fluviais mais baixos que o normal, já que poderiam ter deixado descoberto partes do solo.

O ministério advertiu a população que não comam carne de animais mortos na região e os cadáveres dos hipopótamos estão sendo incinerados para evitar que a doença se espalhe.

“Nos preocupa que os animais estejam morrendo e também a saúde geral da população”, assinalou Ndokosho.

Como espécie, os hipopótamos estão classificados como vulneráveis pela União Internacional para a Conservação da Natureza e se estima que 3.300 indivíduos vivem na Namíbia.

O parque Bwabwata se encontra ao norte do delta do rio Okavangom a maior zona úmida do sul da África, que serve como sustento para uma grande variedade de vida silvestre.

About The Author

Danielle é jornalista, formada pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Já foi voluntária em diversas ONG como Abeac, Anda, Associação Mata Ciliar e N/a’an ku se (Namíbia). Atualmente, estuda Medicina Veterinária na Fesb de Bragança Paulista, onde faz estágio no hospital universitário HVet.

Related posts

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *