Sunday, November 19, 2017

Por que os cães mordem e como corrigi-los?

Por que os cães mordem e como corrigi-los?

Por César Millán
Tradução: Danielle Bohnen

cão pastor em campo de grama mordendo luva de adestramento de homem correndo com roupa apropriada para adestramento caninoSegundo o departamento de saúde do governo federal dos Estados Unidos, CDC, em sua sigla em inglês, aproximadamente 4,5 milhões de pessoas são mordidas por cães no país por ano, sendo que um quinto requer atenção médica.

As crianças são as vítimas mais frequentes. A metade das vítimas de mordida tem menos de 13 anos de idade. O mais grave é que as crianças são mais propensas a ser gravemente feridas por mordidas por seu tamanho pequeno e porque não sabem como interagir com cães.

A maioria das mordidas ocorrem durante a interação dos cães com sua família humana, portanto há muita necessidade de educar as pessoas e seus filhos sobre como evitar as mordidas. É importante entender que qualquer cão tem a capacidade de morder e mediante a compreensão das razões mais comuns, é possível prevenir os incidentes.

5 principais razões porque os cães mordem

1.A possessão canina pode causar mordidas. A proteção de posse é um problema comum e por “posse”, neste caso, pode ser qualquer coisa, desde um brinquedo, comida, território, até, inclusive, um ser humano. Cães de guarda e raças pastoras tendem a ser os mais comuuns, mas tal comportamento pode surgir em qualquer cão.

Comece a treinar seu cão desde cedo a fim de minimizar o comportamento possessivo. O ensino do comando “solta” funciona bem na prevenção de agressividade por brinquedos. A agressividade por comida pode ser evitada ensinando seu cão a esperar enquanto você serve sua comida. Ensine- o a sentar-se ou deitar-se, retire sua comida e logo volta a por o prato no chão. Aproxime-se do prato e de vez em quando adicione alguns petiscos a sua comida, assim, ele entenderá que alguém se aproximando de seu prato não é uma coisa ruim. Ensine às crianças a não mexer em cães que estão comendo seja em seu prato ou mastigando um biscoito ou roendo um osso.

2. Um cão medroso pode morder. Geralmente o medo canino se dirige a estranhos, como veterinários, carteiros ou situações desconhecidas. Jamais aproxime-se de um cão desconhecido e ensine a seus filhos a fazer o mesmo. Mordidas por medo podem ocorrer quando um cão se assusta em casa, portanto ensine às crianças a nunca aproximar-se de um cão de forma sigilosa e nem mexer em um cão que esteja dormindo.

A socialização precoce é importante para que o filhote seja exposto a muitas pessoas diferentes, animais raros e situações inusitadas, minimizando o risco de que alguma fobia se desenvolva. Por exemplo, faça sua primeira visita ao veterinário como uma visita social para que ele se familiarize com a clínica e os funcionários. Deixe alguns biscoitos e um recado na caixa de correio pedindo ao carteiro que dê como um presente ao seu cão.

3. Um cão com dor morde. A dor pode fazer o cão mais simpático do mundo morder. Se seu cão tem displasia coxofemoral, otite severa ou qualquer lesão crônica, instrua seus filhos a manter-se longe das áreas doloridas e que sejam delicados ao lidar com o cão. Se seu cão se tornar insolente sem razão considere que esteja com dor como uma causa provável e faça uma consulta no veterinário para um exame físico.

4. O instinto maternal pode levar a mordidas. Até o cão mais bem treinado pode morder quando tem filhotes. Esteja atento e respeitoso em relação ao instinto maternal diante de uma cria recém-nascida. Ensine a seus filhos a não aproximar-se dos filhotes ao redor da mãe e tenha cuidado ao maneja-los. Assegure-se que a mãe e os filhotes tenham um local onde se sintam seguros com a mínima distração.

5. O instinto de caça pode causar mordidas. Correr ou passear de bicicleta pode despertar o instinto de caçador do cão e desencadear uma perseguição. Seja consciente de seu entorno, se estiver correndo ou pedalando e aviste um cão, evite que seus caminhos se cruzem. Se um cão te segue, o melhor a fazer é não mover-se e pare em frente ao cão. Não faça contato visual com ele, porque ele pode interpretar como um desafio. O cão ou os cães, podem se aproximar e te cheirar, se desinteressar e passar a procurar outra coisa. Se um cão te ataca, você deve se agachar como uma bola, protegendo suas mãos, rosto e pescoço, mantendo-se quieto. Ensine às crianças a fazerem o mesmo. Crie uma rotina de segurança em relação aos cães que vivem soltos no seu bairro.

Sinais de advertência antes das mordidas

O conhecimento dos fatores mais comuns que causam mordidas te ajudará a evita-las. As mordias caninas são sempre precedidas por comportamentos que servem de advertência a um observador astuto que logo pode tomar as medidas necessárias para reduzir o estresse ou o medo no cão.

Tenha cuidado se as orelhas estão para trás, se eriça o pelo na área perto do pescoço ou se você consegue ver o branco dos seus olhos. O rosno também é perigoso, se trata de uma tentativa do cão para parecer ameaçador ao mostrar seus dentes. O comportamento anti social como paralisar-se em resposta a um toque ou o contato visual intenso são outros sinais claros de que está a ponto de morder.

Como prevenir mordidas caninas

  • O líder da matilha começa na prevenção de mordidas na casa ou com seu próprio cão. A castração ajuda a diminuir o risco de comportamentos relacionados às mordidas.
  • Exercitar-se e brincar com seu cão regularmente para reforçar o vínculo humano-animal. Faze-lo diariamente também servirá para gastar o excesso de energia que de outro modo poderia converter-se em agressividade. Porém, evite brincadeiras agressivas como luta-livre e cabo-de-guerra que podem conduzir a problemas de dominância.
  • Treine bem seu cão. Ele deve saber os comandos básicos como senta, fica, venha e solta. Não permita que seu cão perambule livremente por locais onde possa ser perigoso para outras pessoas.
  • Socialize seu cão e o exponha a muitas pessoas e situações diferente, mas evite oprimi-lo. Mantenha as vacinas em dia.
  • Busque ajuda profissional de seu veterinário caso seu cão mostre sinais de agressividade. Se você tem filhos, invista tempo para educa-los em relação ao manejo canino, eles devem estar conscientes e saber o que fazer que forem atacados por um cão.

Fonte: Cesar’s Way

About The Author

Danielle é jornalista, formada pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Já foi voluntária em diversas ONG como Abeac, Anda, Associação Mata Ciliar e N/a’an ku se (Namíbia). Atualmente, estuda Medicina Veterinária na Fesb de Bragança Paulista, onde faz estágio no hospital universitário HVet.

Related posts

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *