Sunday, November 19, 2017

Banco de Sangue online ajuda animais doentes

Banco de Sangue online ajuda animais doentes

Franca conta com um banco de sangue para animais. Cães e gatos doentes ou vítimas de acidente podem depender de uma doação para sobreviver e foi pensando em facilitar a localização de um doador que voluntários criaram o grupo “Banco de Sangue de Cães Franca SP” no Facebook.

Com mais de 520 membros, o grupo surgiu em 2013 para facilitar o contato entre pessoas que tenham animais doadores e outras que precisem de sangue para seus bichinhos. A iniciativa tem ganhado adesões. “Começamos com 30 membros e sempre tem alguém disposto a socorrer e compartilhar o pedido de ajuda”, disse o criador do banco de sangue virtual, o adestrador Adoniran Thomaz, 44.

Banco de Sangue online ajuda animais doentes - 5 pessoas na clínica com um labrador deitado na mesa
Fonte: CMN

De acordo com Dino, muitas pessoas o procuravam pedindo ajuda para seus animais e ele também sentiu a necessidade de criar o grupo por não existir um ponto de armazenamento físico de sangue de cachorros e gatos na cidade. “É mais comum os cachorros precisarem de doações e uma das doenças mais recorrentes é a erliquiose, a doença do carrapato”, disse o adestrador.

Apesar dos resultados positivos no grupo de doação de sangue, a demanda por animais doadores é grande e conseguir um que seja totalmente apto a doar não é uma tarefa fácil. “É difícil encontrar um animal saudável e com todos requisitos para doar sangue. Depois que o material é retirado tem que ficar 35 dias sem fazer doação”, disse a veterinária Marina Melo.

O animal precisa ter de um a cinco anos, pesar no mínimo 25 quilos, não pode estar em tratamento médico ou doente. No caso dos gatos, o peso mínimo é de quatro quilos.

Em sua clínica, a Turma do Abrigo, Marina Melo atende em média de dez animais por mês que precisam de transfusão de sangue. “Tem animais que se não receberem o sangue acabam morrendo”, afirmou a veterinária.

O animal que doa tem que ter uma alimentação reforçada e não pode ser muito agitado ou feroz. Segundo a veterinária, como os cachorros possuem mais de 20 tipos sanguíneos, não são realizados testes de compatibilidade. “Colocamos junto com o sangue um remédio para impedir reações, já nos gatos fazemos um teste de compatibilidade”, afirmou Marina. Nas doações de sangue veterinárias, a coleta é feita pela veia jugular, no pescoço.

Duda Teodoro, já esteve dos dois lados do processo de doação de sangue. No ano passado, sua Shih Tzu, a Ayka, estava com a doença do carrapato, que reduz a imunidade, e precisava de 500 ml de sangue. “Foi muito difícil achar um doador, mas deu certo e ela sobreviveu”, disse. Agora ela tem uma Pitbull, a Hana, que é doadora. “Já passei pela dificuldade, então sei o quanto é difícil você precisar de sangue para seu cachorro”, afirmou. No grupo, ela sempre disponibiliza o animal em postagens de pedidos de doação. “Doar sangue não prejudica o animal. Não custa nada oferecer nosso animal para doar. Essa ação pode salvar outro bichinho”, disse.

Fonte: GCN

About The Author

Danielle é jornalista, formada pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Já foi voluntária em diversas ONG como Abeac, Anda, Associação Mata Ciliar e N/a’an ku se (Namíbia). Atualmente, estuda Medicina Veterinária na Fesb de Bragança Paulista, onde faz estágio no hospital universitário HVet.

Related posts

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *